O mundo é dos trouxas!

abstinencia

Você pode ler esse texto ouvindo: Chasing Pavements

“Eu preciso parar de ser trouxa” – Disse um amigo, em meio aquela porção de conversas jogadas fora sem muita cerimônia. Aquilo me deixou pensativa sobre o que é ser trouxa e porque ser trouxa é necessariamente algo ruim. Logo, reparei que eu deveria ser trouxa também.

Ser trouxa é cultivar o lado mais sublime do amor. Seja ele por um amigo, namorado ou aquele seu crush do bar na semana passada. É vidrar os olhos, sonhar profundamente, criar as mais utópicas expectativas e acreditar nelas como se fossem tornar-se realidade apenas por questão de tempo. Mas não acaba por aí.

Ser trouxa lhe compromete a um emaranhado de lealdade, de uma índole tão correta que lhe aterroriza a ideia de passar por cima do outro para conseguir algo. E junto disso existe uma pureza singela e uma inocência infantil. Pessoas trouxas perdoam com tanta facilidade que nem esperam mais pelo arrependimento de quem lhe fez mal. Elas simplesmente liberam sentimentos de graça.

Mas o mundo não está preparado para a incrível geração de trouxas que vêm por aí. O ser humano ainda é imbecil e só sente-se bem quando está sob vantagem. Qual vantagem, afinal? A vantagem de ser mais esperto? Os espertos nunca tem amor de verdade no fim da estrada, pois você recebe o que dá ao mundo.

Ser trouxa é se arriscar novamente após cada decepção, por ter uma fé inabalável no melhor lado do ser humano. É ser pisoteado, desprezado e humilhado, mas ainda assim ter a sorte de uma consciência limpa, por saber que dá o melhor de seu coração. Vocês podem rir, debochar e esnobar… Mas o que não sabem, é que o mundo é dos trouxas.

Mesmo com uma grandiosa coleção de cicatrizes, mesmo chorando algumas vezes, mesmo sendo sempre a estúpida, desiludida, traída, a coitadinha… Que me perdoem os espertos, mas ser trouxa é o que me faz tão singular. E não tenho vergonha disso.


Atenciosamente, Sarah Santos.

Anúncios

5 comentários em “O mundo é dos trouxas!

  1. Ma-ra-vi-lho-so! Não é à toa que no Harry Porter os humanos são chamados de “trouxas”. E o fim da estrada – ou um tipo de vida completamente novo – está chegando. Um tipo de vida que será povoado por todos os maravilhosos trouxas… Bom abraço!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s