Texto vivo de sentimentos mortos

typewriter
Você pode ler esse texto ouvindo: Unwritten – Boyce Avenue/Diamond White

Ser escritor é foda. Traduzir os sentimentos em palavras exige sangue frio. Escrever é desafiar sua mente e coração todos os dias, perguntando: “o que você tem para mim hoje?”, e sacudir, amassar e espremer a alma até que saia algum verso, por menos poético que seja. Escrever é concretizar as dores e guardá-las em um armário, para estarem sempre a sua disposição quando precisar passá-las pro papel.

Aprendi sorrateiramente que ser um escritor também vai além disso. Pois qualquer um pode falar do que lhe acontece em volta, e isso é adoravelmente saudável. Vomitar emoções é preciso, para não morrer em um refluxo. Mas o verdadeiro artista escreve sobre o que nunca viveu, sensações que nunca experimentou… Ou até mesmo experiências das quais jamais quer viver novamente. Essa é a arte de provocar, de reciclar feridas.

E nessa reciclagem o lixo vira joia. As dores crescem e viram palavras, que se unem a outras palavras e viram versos, que quando cultivados… Dão origem as mais lindas criações. Por isso, perdi o medo de sofrer. Por isso Vinicius de Moraes casou-se nove vezes, por isso Carlos Drummond morreu do coração, por isso Mario Quintana sofria de alcoolismo. Ou você acha que os maiores gênios algum dia tiveram estabilidade?

Não ouso escrever sobre sentimentos ainda quentes, pois isso pode ser perigoso. Versificar a vida abre portas para o imaginário, e uma vez lá… Você não vai querer voltar. Mas arrisco dizer que a escrita é uma das armas mais poderosas já vistas… Literatura é calmaria, é o reflexo da alma, mas atinge pessoas como um tiro. Quando mais escreve, mais apontada torna-se sua mira.


Sarah Santos

Anúncios

2 comentários em “Texto vivo de sentimentos mortos

  1. Oi, Sarah!

    Puxa vida, que texto mais maravilhoso! ❤
    Também sou escritora e concordo totalmente contigo. Escrever, para muitos, não é nada, mas para o escritor é sempre uma coisa esquisita (por mais acostumado que ele esteja). Se o texto é positivo, talvez, seja muito mais instável do que realmente é. Se é negativo, é porque a nossa instabilidade real está fluindo para cada palavra. A gente nunca sabe o que vai acontecer depois de algo escrito, a forma como vai atingir as pessoas e a nós mesmos… Eu uso a literatura para me definir, mas também para me desordenar e, ao mesmo tempo, me colocar em ordem. Confuso, né? A verdade é que escritor nunca sabe, de fato, o quanto as palavras escritas vão mudar o mundo (particular e exterior).
    Obrigada pelo texto, fez meu dia ficar mais colorido! 🙂

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s