Eu não sei nada sobre o amor

18
Você pode ler esse texto ouvindo: Oração

Eu poderia me declarar para você. Pegar na sua mão como naquela velha primeira vez e reproduzir todas as trocas de olhares que me fizeram ter certeza de aquelas faíscas eram reais. Poderia escolher cuidadosamente as palavras mais bonitas que trouxessem algum calor para o seu coração, e deixasse com que esse calor aquecesse todo o resto. Poderia ser tão persuasiva quanto uma forte candidata ao prêmio que é sua companhia… Mas eu não sei nada sobre o amor.

Eu poderia fazer charme. Sorrir mais, chegar mais perto, até o seu mundo se tornar o meu. Eu poderia cruzar as pernas como uma perfeita dama, conversar sobre história antiga e os mais variados tons de esmaltes existentes… Se eu soubesse falar sobre isso. Eu poderia representar a perfeita figura da garota completa: bonita, simpática e inteligente. Mas continuo mediana, mesmo depois de tantas tentativas. Afinal, eu não sei nada sobre conquista.

Sua luz me deixa confusa. Não sei o que esperar, de que maneira esperar e o que fazer enquanto não chega. Mas vai chegar… Ah, uma hora vai. Quando canso, tento ir embora. Porém, na partida seus olhos me puxam novamente para o mesmo lugar de onde nunca deveria sair.  A inércia me incomoda, mas estacionar no seu peito faz com que eu me sinta em casa. Uma passarinha aconchegada em seu ninho. Eu deveria deixar isso pra lá, mas não sei nada sobre partidas.

No meio do caminho, começo a te odiar. Me vêm a cabeça que isso tudo é resultado de um plano mal feito para me manter por perto quando sentir vontade de alguém. “Qual é a sua, garoto?“, esperneio, bato, uso da ironia como minha arma secreta. Escondo os mais veementes sentimentos no mais obscuro da minha alma para expressar apenas o que me interessa, e não deve lhe interessar. Porque eu não sei nada sobre coerência.

Me perco em uma tentativa absurda de manipular o que já não tenho controle. Faço uma prece rápida pedindo por alguma resposta concreta, talvez, intervenção divina seja a solução. Penteio os cabelos, refaço a maquiagem e reviro o guarda-roupa mais uma vez, em busca te algo que capture seu olhar por mais de três segundos. Escrevo um monólogo para relembrar de todos os seus defeitos, como esse aqui. Mas não me arrisco a amar… Pois eu não sei nada sobre o amor.


Sarah Santos

Anúncios

2 comentários em “Eu não sei nada sobre o amor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s